quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Eu, as expectativas, meu coração e a vida...

"Sabe aquela sensação de depositar muitas expectativas nas pessoas e na vida? Tenho a leve impressão de que essa sensação está intacta em mim. Ver um coração é fácil, difícil é lutar para entendê-lo, depositar confiança e tempo para tal realizações e conhecimentos. Ah, são poucas pessoas que nasceram preparadas para isso, talvez nem eu realmente esteja preparada para entender o meu próprio coração. Logo eu, cheia de mistérios e surpresas, até mesmo me renovo, invento e me reinvento a cada instante, ser a mesma todos os dias não dá, isso nunca foi a minha praia. Acredito que tempo é preciosidade, não devemos gastar com muitos, mas com poucos o suficiente que mereçam o mínimo do tempo ao qual dedicamos grande parte dos nossos dias, noites, principalmente nossas vidas. Sonhar sozinho é fácil, sou sonhadora, mas a caminhada sozinha exige muito de nós, mas quando temos alguém que nos ama o quanto nós o amamos para caminhar ao nosso lado o nosso coração vive transbordando, até mesmo nos dias em que os nosso olhos estão lacrimejando prestes a derramar lágrimas. A vida é mesmo uma ponte, com seus tropeços, balançadas que movem os nossos pensamentos e corações, algumas pontes não tem fim, parece que a medida em que andamos estamos mais distante de alcançar o que planejamos alcançar, que a cada passo o final, a conquista tão almejada se distancia de uma maneira crescente. Então, é aí que pensamos em desistir, em deixar nossas malas no meio da ponte, mas a vida não. Ah, a vida tem fim e só encontramos o sentido dela depois de perdemos os nossos próprios sentidos, diversas vezes ao longo dos nosso passos na ponte, a cada tropeço, um aprendizado. Pois é, aprendemos com os tombos e passamos a amar os espinhos, quando enxergamos que eles nos tornam pessoas melhores, que ele nos mudam, transformam e trazem consigo razões que nos fazem recomeçar a cada segundo. Enxergar um coração é a facilidade de muitos, mas tocar um coraçao,ah, esse dom é para poucos. A vida nos toca na alma e às vezes os sentimentos que estão fazendo morada dentro dos nosso corações nos cegam e nos impedem de enxergamos isso de uma maneira tão clara, o quanto a ponte da vida é linda e o quanto vale a pena cada tropeço. Ah, vale muito, eu sei bem, por isso escrevo com da dor, com amor, pois apesar de cada lágrima, me inspirou".

Nenhum comentário:

Postar um comentário