domingo, 28 de maio de 2017

A vida é curta

Momentos. Para mim, os momentos são fases da vida que ultrapassamos, alguns escolhemos passar, outros não. Os anos se passam, compreendemos que a vida é curta, apenas um sopro, um vento qualquer, que chega até o nosso rosto, passa por nós e se vai, talvez em um curto ou longo espaço de tempo. Ah, quem dera se todos soubessem o que há de vir, porém, o amanhã quase sempre se encaixa na frase "tarde demais". Tarde demais para voltar atrás e reviver todos os bons momentos de novo, com mais intensidade, firmeza no pensamento e sinceridade nas atitudes e palavras. Tudo passa tão rápido, o fim tem como objetivo trazer a conclusão de algo, contudo, nem sempre o  fim traz a resposta e sim a dúvida. E se eu tivesse feito daquela maneira, será que daria certo? E se eu tivesse aproveitado mais, valeria a pena? E se isso não for para mim? Viver é correr riscos, riscos de pisar em espinhos dolorosos, reconhecendo que não somos nada e que também não temos nada. Os espinhos costumam trazer feridas internas que nem mesmo o tempo é capaz de curar. Porém, o espinho ensina, mostrando para nós que os momentos se passam, as pessoas e as coisas se vão, talvez com a mesma velocidade que chegaram até nossas vidas. A vida passa, o amadurecimento chega e reconhecemos que um dia a mais, também é um dia a menos. Estamos cada dia mais próximo do fim de nossas vidas, por isso, viver de coração cada momento é viver. Chega de existir, de fingir que tudo está ótimo, eu sei que não está tudo bem, você tem mentido para si mesmo, pois tem sido muito mais fácil negar a tristeza do que procurar razões para ela, a origem de toda a dor. Um turbilhão de pensamentos, insônia, lágrimas contidas dentro do coração e sorrisos disfarçados. Tentar inibir a dor não é a solução para remove-la. Para boas pessoas existem ruins espinhos, saiba disso, mas viva, viva bem, não exista, viva. 
Imagem de Vanessa Figueiredo 


Nenhum comentário:

Postar um comentário